O Memorial da Escravatura de Cacheu quer homenagear a memória do Prof. Leopoldo Amado

Poilão grande cai, poilão grande fica! Fica no conhecimento e na energia que transmitiu a todas as pessoas e todos os jovens que trabalharam com ele. Fica nas ideias e nas ações que, com a generosidade dos grandes, sempre partilhou e alimentou. O Memorial da Escravatura de Cacheu quer homenagear a memória do Prof. Leopoldo Amado, Comissário da Comunidade Económica de Estados da África Ocidental (CEDEAO) para a Educação, Ciência e Cultura, falecido no domingo passado em Dacar. Mas quer homenagear sobretudo o intelectual, o historiador, o amigo que sempre foi disponível nos conselhos e orientações, com que quis participar em 2016 na inauguração do nosso Museu para confirmar o seu apoio e acompanhamento no caminho recém-iniciado, até a organização em fevereiro de 2020 do I Simpósio Internacional de Cacheu sobre histórias e memorias da escravatura na costa de Guiné. As nossas profundas condolências à família enlutada, aos amigos, amigas e colegas todos.

 

Deixe uma resposta